Precisamos nos preocupar com esse clima, “tá quente, tá frio”? Com certeza…

Está achando que o clima na Terra tá bem doido? – muita neve, muito quente, muito frio, muito vento, muito seco, água de mais em pouco tempo?

Pois é… vai piorar. Eu acompanho esses eventos há anos e a cada ciclo tende a ficar mais tenso em todos os aspectos da nossa vida.

Escrevi livros sobre o que poderia acontecer, caso as coisas saíssem do cotidiano. Esse Blog está coberto de artigos e informações sobre todas essas mudanças. Eu alertei a você que aquele “mundo” que você conhecia… já era, não existe mais. Portanto, você precisa mudar também.


Seu tempo de se mexer está cada vez mais limitadoSabe quando a moça que dá a previsão do tempo na TV se enrola toda pra explicar o inexplicável? Taí. É um momento de ficar atento cada vez mais… pois tem certas informações que eles não te darão em rede nacional…

circulação do Oceano Atlântico é a mais fraca em um milênio – alertam os cientistas.

Declínio no sistema que sustenta a Corrente do Golfo pode levar a condições climáticas mais extremas na Europa e níveis mais elevados do mar na costa leste dos EUA (Florida).

AMOC – pesquise mais sobre.

O evento “AMOC” [Circulação Meridional de Virada do Atlântico] foi o enredo do filme ‘The Day After Tomorrow’ (O dia depois de amanhã) 2004.

Você assistiu? Não? Então veja, reveja – vai entender muita coisa.

O AMOC opera um pouco como uma gigantesca esteira rolante de água do mar, redistribuindo a água e o calor ao redor do hemisfério norte conforme a temperatura, o sal e o peso relativo da água variam

É parte do motivo pelo qual os invernos europeus são relativamente amenos, mesmo em latitudes mais altas. Ninguém congela, como no filme.

O enfraquecimento do AMOC pode resultar em mais tempestades graves no Reino Unido, invernos mais intensos e um aumento nas ondas de calor e secas prejudiciais em toda a Europa. 

Os cientistas preveem que o AMOC vai enfraquecer sua circulação ainda mais, e pode reduzir em cerca de 34% a 45% até o final deste século.

O fluxo de superfície para o norte do AMOC leva a um desvio das massas de água para a direita, longe da costa leste dos Estados Unidos. Isso se deve à rotação da Terra, que desvia objetos em movimento, como correntes, para a direita no hemisfério norte e para a esquerda no hemisfério sul. À medida que a corrente diminui, esse efeito se enfraquece e mais água pode se acumular na costa leste dos EUA, levando a um aumento acentuado do nível do mar.”

Dr. Levke Caesar, da Maynooth University na Irlanda

Sem ele, o nível do mar subiria ao longo da costa leste dos Estados Unidos, com consequências potencialmente desastrosas. A Flórida seria particularmente afetada, pois o fluxo de água para o norte seria interrompido, ao se acumular na costa do estado.

Se a Corrente do Golfo parasse, a água quente que seria destinada à Europa ficariaao redor das Américas. Como resultado, a Europa Ocidental enfrentaria invernos mais rigorosos, enquanto os verões nos Estados Unidos seriam muito mais quentes.

A Corrente do Golfo e a água quente também fornecem um suprimento imediato de combustível para os furacões que cruzam seu caminho.

AMOC flutua rapidamente em CGCMs (20-30 anos)

Na Europa, não apenas os invernos ficarão muito mais frios, mas as secas, tempestades e ondas de calor do verão provavelmente se tornarão mais comuns. 

Ars Technica alerta que o nível do mar subindo é o suficiente para reduzir as terras aráveis ​​do Reino Unido de 32% para apenas 7%.

Os impactos na agricultura, vida selvagem, transporte, demanda de energia e infraestrutura costeira seriam complexos, mas podemos ter certeza de que haveria consequências socioeconômicas importantes

Por exemplo, um estudo mostrou uma redução de 50% na produtividade da grama nas principais regiões de pastagem do oeste do Reino Unido e da Irlanda… sem gado, sem comida.

A figura abaixo ilustra as mudanças que resultam em tal experimento. O desligamento do AMOC resulta no resfriamento (sombreado em azul) de todo o hemisfério norte, particularmente das regiões mais próximas da zona de perda de calor do Atlântico Norte (o “radiador” do sistema de aquecimento central do Atlântico Norte).

Entende agora porque o Brasil é o celeiro do planeta?

O que pode ser feito sobre o risco de colapso?

Se preparar para as consequências de um colapso do AMOC

Tudo indica que não será possível alertar a humanidade sobre essa potencial emergência… “eles” não irão mexer uma palha para alertar aos desavisados. Esse movimento cabe a cada um que tenha consciência/ conhecimento sobre essas mudanças e que se prepare. Reavalie suas metas de vida, aja conforme suas convicções e entendimento.

Eu já fiz minhas escolhas e estou ajudando a tantos outros a se organizar o mais rápido possível. O dia “depois de amanhã” poderá ser tranquilo e rico em alternativas e sustentabilidades. Só depende de você.

laura botelho: http://bloglaurabotelho.blogspot.com/2021/02/precisamos-nos-preocupar-com-esse-clima.html


VEJA TAMBÉM:

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google

Você está comentando utilizando sua conta Google. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s

Este site utiliza o Akismet para reduzir spam. Saiba como seus dados em comentários são processados.