O Conselho Regional de Medicina do Distrito Federal (CRM-DF) divulgou nesta segunda-feira, 1º de março, uma nota pública contra o lockdown como medida para controle da transmissão do coronavírus. “Tal medida já se mostrou ineficaz, atentatória contra direitos fundamentais da Carta Magna e condenada até mesmo pela Organização Mundial da Saúde”, enfatiza o documento. Segundo o CRM-DF, o Amazonas, Estado com o maior índice de isolamento social do Brasil, apresentou o maior número de internações e mortes por covid-19 cerca de 30 a 45 dias após o primeiro lockdown. “[É] mais uma evidência do fracasso dessas medidas de restrição”, ressaltou. Na sexta-feira 28, o governador do Distrito Federal, Ibaneis Rocha, decretou medidas restritivas em todo o seu território, autorizando apenas o funcionamento dos serviços considerados essenciais. De acordo com o CRM-DF, “a restrição ainda maior de liberdade causa aumento da incidência de transtornos mentais, uso e abuso de álcool e outras drogas e agravamento das demais doenças crônicas”. O Conselho afirma, ainda, que o lockdown ocasiona prejuízo irremediável à economia, provocando desemprego, fome, violência e, por conseguinte, mais caos na saúde.

Fonte: Conselho Regional de Medicina do DF emite nota contra o ‘lockdown’