Todos os dias em frente à estação de trem de Nova Iguaçu está lá uma senhorinha vendendo coador de café. Ela não sabe quem eu sou. Eu não sei o nome dela. Eu a observo há alguns anos. Sempre ali, exalando humildade, tocando seu pequeno comércio.Essa senhorinha é para mim um símbolo de milhões de brasileiros. Quem conhece a realidade nua e crua de um lugar como a Baixada Fluminense sabe como é a situação dessas pessoas.A despensa não acumula mantimentos. Na geladeira há sempre espaços vazios. Em alguns casos, nem há geladeira.O que se come hoje foi comprado com o que se ganhou ontem, ou com o que se ganhou hoje mesmo ou, ainda, com o que ainda se vai ganhar, graças ao caderno da “barraca” que há na rua.

Continua…

Fonte: Ponham a mão na consciência: Impedir uma pessoa humilde de buscar o pão para sua casa é uma crueldade