As ONG’s no terreno em Moçambique falam de crise de saúde pública na cidade de Pemba para onde convergiram já mais de 700 mil pessoas, fugidas dos ataques terroristas no norte da província de Cabo Delgado.A pandemia, a malária e os surtos de cólera colocam grandes desafios. O Comité Internacional da Cruz Vermelha (CICV), tem reforçado a ação nos centros de saúde degradados; uma gota de água no oceano das necessidades.Raoul Bittel, chefe de operações do CICV em Pemba afirma: “Se olharmos para o que aconteceu no ano passado e este ano, temos cerca de sete vezes mais pessoas que fugiram dos distritos do norte; passou de cem para cerca de setecentos mil. Portanto, obviamente, isto coloca muita pressão nas infraestruturas existentes: saúde, educação, tudo”.

Fonte: Crise de saúde pública no norte de Moçambique | Euronews